Público - 3 Mar 04
"Senhores Deputados, Tomem Consciência!" 
Por N.S.L.

O movimento "Mais Vida, Mais Família" entregou ontem ao presidente da Assembleia da República, Mota Amaral, a petição que pede ao Parlamento que não descriminalize o aborto e avance com medidas de protecção da mãe e criança. Juntamente com a petição, o movimento trouxe 200 mil assinaturas. 

Isabel Carmo Pedro, uma das promotoras do movimento, classificou a petição como uma chamada de atenção aos representantes do eleitorado: "Senhores deputados, tomem consciência do verdadeiro sentir do povo português." Este foi um dos muitos encontros que o movimento teve ontem. Para além de Mota Amaral, reuniram com o grupo parlamentar do PS, com um representante do ministro da Segurança Social e com o ministro dos Assuntos Parlamentares. 

Os promotores do movimento entendem que as 200 mil assinaturas significam que a "opinião dos portugueses [sobre o aborto] não mudou". João Paulo Carvalho, um dos que entregou a petição a Mota Amaral, frisou o número de assinaturas da petição representou "um sinal muito claro aos senhores deputados que não podem usar o mandato que lhes foi conferido pelos eleitores para aprovar legislação liberalizadora". 

Este promotor acrescentou que a iniciativa não se esgotava na contestação. João Paulo Carvalho afirmou ter apresentado "um conjunto de propostas concretas" aos partidos nas reuniões com os grupos parlamentares. As propostas vão no sentido de uma maior protecção às grávidas e à defesa dos embriões. 

Questionados sobre qual a posição perante a proposta de Freitas do Amaral, os promotores limitaram-se a dizer que estavam apenas "mandatados" para combater a descriminalização. Acrescentaram, no entanto, existir diferentes sensibilidades entre os apoiantes do movimento. Isabel do Carmo Pedro afirmou existirem pessoas que consideravam a "actual lei equilibrada", enquanto que outras queriam a lei revista, mas por considerarem que esta "desprotege a vida intra-uterina".