Público - Sábado, 01 de Março de 2003
Congressso dos EUA Aprova pela Segunda Vez Proibição de Todo o Tipo de Clonagem

A câmara baixa do Congresso norte-americano aprovou mais uma vez uma lei que proíbe todo o tipo de clonagem humana - mesmo a usada para investigar novos tratamentos para problemas hoje incuráveis, como a diabetes ou a doença de Alzheimer. O documento aprovado em 2001 pela Câmara dos Representantes nunca chegou a ser votado no Senado e o mesmo pode acontecer desta vez.

O Presidente George W. Bush nunca escondeu que se opõe a todo o tipo de clonagem ou manipulação de embriões humanos - e, na quarta-feira, emitiu um parecer que não deixa margem para dúvidas: "A Administração opõe-se fortemente a legislação que proíba a clonagem para fins reprodutivos e permita a criação de embriões clonados ou o desenvolvimento de quintas de embriões para investigação, que envolveriam necessariamente a destruição de vidas humanas que poderiam nascer."

Em resposta a esta declaração, citada pelo jornal "The Washington Post", a Câmara dos Representantes votou de forma expressiva: 241 votos a favor da interdição de todo o tipo de clonagem e 155 contra, depois de três horas de debate. "A clonagem seria o empreendimento humano mais horrível e perigoso da história", comentou a representante republicana Sue Myrick.

O projecto apresentado por Dave Weldon prevê uma pena de prisão que pode ir até dez anos e multas de um milhão de dólares (valor semelhante em euros) para quem tente clonar seres humanos, seja para que fim for. Ou seja, prevê as mesmas sanções que o documento aprovado em 2001 - que nunca se transformou numa lei porque o Senado se mostrou tão dividido sobre a questão que a votação resultaria num empate.

Mas se o projecto de 2001 não foi para a frente na câmara alta do Congresso, o de 2003 tem também um futuro incerto no Senado, salientam vários jornais norte-americanos. O novo líder da maioria (republicana) do Senado, Bill Frist, é um cirurgião cardiologista que noutras alturas tentou alcançar compromissos. Resta esperar para ver como responderá perante uma condenação tão clara da clonagem feita pelo Presidente Bush.