Ecclesia, 20/12/2002
É inaceitável destruir embriões humanos

Classificar como “moralmente inaceitável” a produção, manipulação e destruição de embriões humanos para “clonagem terapêutica” é o principal objectivo de uma nota da Conferência Episcopal Espanhola (CEE) divulgada ontem, 19 de Dezembro.
 
A mensagem defende que “não se pode instrumentalizar o ser humano, porque a ciência e a técnica exigem a aplicação da ética para promover e não degradar a dignidade humana”. A CEE explica que “há alternativas válidas e moralmente lícitas para atingir os fins pretendidos, como seja a utilização de células-mãe provenientes de organismos adultos.”
 
Os Bispos espanhóis defendem um progresso científico que “ajude a melhorar as condições de vida do ser humano”, pelo que pedem às autoridades que dirijam os fundos públicos “para âmbitos de pesquisa que respeitem plenamente a dignidade inviolável de todas as pessoas”.