"O aborto é sempre um mal: para a criança porque é impedida de nascer; para a mulher que o pratica porque física e psiquicamente fica com marcas para o resto da vida; para o pai porque de uma forma ou outra (umas vezes é o impositor do acto, outras porque contra a sua vontade) acaba por carregar aquela culpa e dor; e para a Sociedade que assiste e tem dentro de si estes sofrimentos que tantas vezes geram agonias, danos, depressões e até violências diversas."

Isilda Pegado
Presidente da Federação Portuguesa pela Vida

Na rúbrica "Ser Família" a jornalista Marta Chorão Bilo entrevista a psicóloga Maria José Vilaça sobre as consequências da prática das "barrigas de aluguer" para a mulher, para a criança e também para a família.