"O aborto é sempre um mal: para a criança porque é impedida de nascer; para a mulher que o pratica porque física e psiquicamente fica com marcas para o resto da vida; para o pai porque de uma forma ou outra (umas vezes é o impositor do acto, outras porque contra a sua vontade) acaba por carregar aquela culpa e dor; e para a Sociedade que assiste e tem dentro de si estes sofrimentos que tantas vezes geram agonias, danos, depressões e até violências diversas."

Isilda Pegado
Presidente da Federação Portuguesa pela Vida

(2014), Protecção da vida humana na Europa: perspectivas éticas (Federação Europeia para a Vida e a Dignidade Humanas "Um de NÓS")


{pdf}http://www.mpatraoneves.pt/media/communications/slides/2014_One_of_US.pdf|height:400|width:850|app:adobe{/pdf}