D The Pope and abortion nazism

AS PALAVRAS DO PAPA QUE A IMPRENSA RELEGOU PARA SEGUNDO PLANO  

O Papa não se quis imiscuir no debate parlamentar em Buenos Aires sobre a legalização do aborto (vitória tangencial dos abortistas na câmara baixa, decisão passa para o Senado).

Esperou, e depois desferiu palavras certeiras, fortíssimas, intemporais, sobre o que é o aborto, um mero infanticídio pré-natal hoje em dia politicamente mal disfarçado, legalmente atabalhoado, socialmente travestido de proteção à Mulher.

Nas palavras diretas do Papa: Aborto é Nazismo. Ou seja, à atenção de políticos, legisladores, sociedade: temos um problema para resolver, vamos repensar tudo isto, vamos rever o modelo em que construímos a sociedade atual, porque, tal como o Nazismo, terá que caír, de uma maneira ou de outra.

 

https://www.terra.com.br/

Papa diz que aborto é "nazismo de luvas brancas"

Francisco criticou interrupção da gravidez por malformação

16 jun 2018

O papa Francisco fez uma dura crítica ao aborto, chamando a interrupção da gravidez em caso de má-formação.

"No século passado, todo mundo se escandalizava com o que os nazistas faziam pela pureza da raça. Hoje fazemos o mesmo com as luvas brancas", disse o argentino Jorge Mario Bergoglio, em referência às mãos dos médicos e profissionais que realizam o aborto. "Está na moda, é normal que, em uma gravidez na qual a criança não está bem ou possui alguma malformação, a primeira oferta ser: vamos tirá-la?'. O homicídio das crianças. Para deixar a vida tranquila, mata-se um inocente", afirmou o Papa, em uma audiência ao Fórum das Famílias no Vaticano.

Além do aborto, Francisco falou sobre outros temas relacionados à família moderna, como homossexualidade, infidelidade e "tempo para cuidar dos filhos".

"Dói dizer isso hoje: fala-se sobre famílias diversificadas, de diversos tipos de família. Sim, é verdade que a palavra família é análoga, e existem a família das estrelas, das árvores, dos animais... mas a família imaginada por Deus, homem e mulher, é uma só", pontuou o líder da Igreja Católica.

Segundo ele, a sociedade atual também não pensa mais "na possibilidade de perder tempo" para ficar com os filhos, pois a família não é levada "em consideração". "Para ganhar dinheiro hoje, é preciso ter dois trabalhos", criticou. "Já os jovens têm o problema de que não podem se casar porque não têm emprego", disse. "Brinquem com seus filhos, passem um tempo com eles, sem dizer 'não me atrapalhe'", pediu Francisco.

Sobre a infidelidade e traições entre os casais, o Papa afirmou que uma mulher que "espera o marido infiel voltar" é "santa".

"Tantas mulheres, mas também muitos homens, em silêncio esperando que o esposo volte a ser fiel. Essa é a santidade que perdoa tudo porque ama", recomendou.